Compartilhe!

Quando o Glúten está fora do menu

por

Por Ágatha Déa, especial para a Gazeta do Povo*

Quando o assunto é emagrecer, as mulheres fazem o que podem para perder alguns quilinhos. A dieta da moda – que conquistou famosas como Isis Valverde, Gisele Bündchen e Juliana Paes – consiste em retirar do cardápio o glúten, uma proteína vegetal encontrada em produtos como trigo, aveia, centeio e cevada.

Mas será que cortar o glúten realmente adianta? A dica dos especialistas é, antes de copiar as celebridades, fazer uma reeducação alimentar com um profissional qualificado. Segundo o médico nutrólogo Maximo Asinelli, o glúten está presente em pães, bolos, massas, cereais, cerveja, entre outros alimentos consumidos no dia a dia. “Quando comemos alimentos com glúten, o que acontece é um inchaço natural do intestino delgado. Por isso, ao iniciar uma dieta sem essa substância, é possível perceber a perda de alguns quilos, mas o que realmente engorda não é o glúten e sim os outros componentes que fazem companhia a ele nesses alimentos, como o carboidrato, a gordura e outras proteínas”, explica o médico.

De acordo com ele, a dieta do glúten é restritiva como várias outras. “Qualquer dieta com restrição de calorias pode emagrecer, seja com a retirada do glúten, da gordura ou do carboidrato, por exemplo. Mas é importante ressaltar que são alimentos que possuem fontes energéticas e nós precisamos consumi-los moderadamente, e não cortá-los totalmente”, alerta. Em uma dieta em que se evita o glúten, outros alimentos podem suprir o organismo com o carboidrato necessário. É o caso de algumas frutas e legumes, além de raízes como batata-doce e mandioca.

Organismo pode criar barreira ao alimento

A nutricionista e professora do curso de Nutrição da Pontifícia Universidade Ca­tólica do Paraná Helena Maria Simonard Loureiro explica que cortar o glúten da alimentação pode ser perigoso. “Em geral, a pessoa sem intolerância patológica a essa proteína pode adquirir uma insuficiência enzimática e acabar tendo de consumir uma alimentação sem glúten para o resto de sua vida. É como se criasse uma barreira ao alimento”, explica.

Opção

A jornalista Débora Donadussi Pusebon da Costa, de 31 anos, optou há sete anos por uma dieta sem glúten e sem lactose. “Fui a uma nutricionista funcional para fazer uma reeducação alimentar e para perder um pouco de peso antes do meu casamento”, conta.

Segundo ela, após a dieta de desintoxicação, várias coisas mudaram. “Minha maior queixa eram as crises de enxaqueca constantes e a TPM muito acentuada, além da vontade enorme de comer doce, inchaço abdominal, entre outras coisas. Após esse período de desintoxicação percebi que os sintomas sumiram. Na prática, vi que ficar sem essas substâncias só me fez bem. A partir daí, continuei seguindo a dieta restritiva, um pouco mais flexível, e hoje já adaptei ao meu dia a dia”, diz a jornalista, que apesar de ter perdido seis quilos em poucas semanas no início da dieta não acredita que cortar apenas o glúten faça emagrecer.

Fibras

A jornalista cortou da dieta industrializados, carboidratos, farinhas e incluiu alimentos ricos em fibras. “Eu como algumas coisas com glúten, mas tem de ser moderadamente. Quando como algo à tarde, por exemplo, já sei que de noite não posso comer novamente. Meu organismo se acostumou com essa restrição. No início da dieta sem glúten senti um pouco de cansaço e indisposição, mas foi só nos primeiros dias. Depois, o efeito foi restaurado. O que eu percebi foi que a barriga diminuiu de forma bem mais rápida do que quando fazia a reeducação alimentar convencional.”

sem gluten sem lactose

Internet:
Site compartilha receitas culinárias sem o glúten

Logo que iniciaram a dieta restritiva, Débora Costa e seu marido, Samuel Costa, criaram um blog chamado “Sem Glúten Sem Lactose” (www.semglutensemlactose.com) para compartilhar curiosidades e receitas. “A ideia surgiu em 2007 quando iniciamos a reeducação alimentar. Algumas amigas estavam seguindo a mesma linha e a troca de receitas entre nós se tornou frequente, por isso criei o blog no intuito de facilitar a distribuição. Com a ajuda do meu marido, que é formado em Processamento de Dados, o layout foi mudando, algumas coisas foram incrementadas e as visitações aumentaram. Começamos a subir nas buscas do Google e, por fim, transformamos o blog em site”, relata. Atualmente, a página do site no Facebook tem mais de 30 mil curtidas. “O reconhecimento do nosso trabalho é a parte mais legal, é uma troca de experiências. Tenho um prazer imenso no que faço”.


Claro que na matéria não coube tudo o que eu gostaria de falar, por isso se você quiser ler mais sobre minha história, acesse QUEM SOMOS e ENTREVISTA.

*Matéria originalmente publicada em: www.gazetadopovo.com.br/saude
Foto: Simone Lima.
Veja outras matérias clicando em ARTIGOS.

9 respostas para "Quando o Glúten está fora do menu"
  1. Muito bom o compartilhamento. To com um problema patológico e não posdo consumir glúten, lactose, cafeína, açucar, e fibras.Complicado ….. Vou procurar adaptar a mudsnça radical. Quem puder ajudar. Agradeço.

  2. decidi cuidar de mim uma vez em que tenho intolerancia ao leite e vivo com falta de ar e crises de bronquites, hoje fiz meu primeiro bolo sem gluten e sem lactose que eu achei aqui no blog adptei a receita que pedia fecula de batata por farinha de arroz e ficou maravilhoso cresceu e ficou fofinho. Fiz o de tngerina!. Vou seguir as dicas do blog bjs

  3. Comecei a dieta sem lactose e sem glúten semana passada e estava
    me sentindo meio perdida! Hoje minha filha me indicou este site e Eu estou gostando.
    A nutricionista junto com a Endocrinologista não me explicou como Eu deveria fazer.
    Agora encontrei uma luz e vou te perseguir….rsrs. Bjos

  4. Dedico os méritos a este casal que atraves de suas escolhas beneficiam muitos que buscam, através das suas receitas, saciar a fome e angustia diante do dignóstico!!!Obrigado!

  5. A mais ou menos seis meses descobri que sou intololerante ao glúten e à lactose, no começo fiquei meio perdida pois pensei que iria ter que passar fome, mas nao foi nada disso que aconteceu, pelo contrario eu comecei a mudar meus hábitos alimentares, passando a substituir alimentos com gluten e lactose por alimentos sem glúten e sem lactose. O resultado disso foi maravilhoso, eu sempre fui gordinha e sempre tive problemas pra emagrecer, porém com essa dieta simples perdi 17kg, voltei ao peso de quando eu tinha 20 anos. Hoje sou uma trintona feliz da vida com a auto-estima renovada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *