Compartilhe!

Saiba mais sobre a dificuldade de digestão da rafinose

por

Flatulência por má digestão da rafinose - Digeliv

Um problema bem ’embaraçoso’ que acomete várias pessoas é a flatulência. Uma das causas já conhecidas da presença constante de gases intestinais é a dificuldade que alguns organismos têm de digerir certos alimentos, como aqueles que apresentam rafinose, por exemplo.

A rafinose é um açúcar complexo encontrado em legumes folhosos como repolho, brócolis, couve-flor; cereais como arroz, aveia, centeio, cevada, granola, milho e trigo; frutas como banana, damasco, laranja, kiwi, maçã e pêssego; vegetais e nos feijões. Quando estas comidas passam diretamente para o intestino sem terem sido corretamente digeridas, as bactérias podem começar a produzir gases.

O desconforto, no entanto, pode ser evitado com a ajuda do Digeliv. Este produto é formulado com enzimas digestivas, especialmente a Alfa Galactosidase, que podem ser utilizadas no preparo de alimentos, ajudando na digestão da rafinose e evitando os gases e o inchaço abdominal. Cada embalagem de Digeliv vem com 30 sachês de 2g cada, sendo que para uma refeição cotidiana, a média é de 1 a 2 sachês.

Saiba mais acessando o site www.digeliv.com.br.

 

5 respostas para "Saiba mais sobre a dificuldade de digestão da rafinose"
  1. Não sei se tenho.pois tirei o glúten e lactose..mais alguns alimentos.Mas além dos inchaços abdominal tenho constipação…a vida toda..agora piorou …estou desesperada!!

  2. Após vários exames, sem nenhum diagnóstico e com fortes dores abdominais, flatulência, me]u médico me prescreveu digeliv. Nossa…. que bênção em minha vida. Fez efeito imediato!

  3. Olá, boa tarde. Gostaria de saber como descubro se tenho esse probleminha com a rafinose, pois tenho quadros de diarréia constante e muitos gases. Já retirei o glúten e a lactose… Obrigada

    • Ola, não tem um exame específico para isso, para saber vc tem que exluir os alimentos citados e fazer uso do digeliv por 20 dias se os sintomas melhorarem significa que vc tem intolerância a rafinose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *