Compartilhe!

Glúten: por que tantos organismos o rejeitam?

por

Doença celíaca, os organismos que rejeitam o glúten

Viver sem a proteína presente em diversos alimentos pode trazer um rio de benefícios à saúde

Enquanto para muita gente ele é apenas mais uma palavra no dicionário com significado desconhecido, para outros já é parte integrante do vocabulário. Faz parte da rotina. Glúten é uma proteína encontrada na semente de muitos cereais, como trigo, cevada, centeio e aveia. Por isso é tão simples ‘tropeçar’ com ele no cardápio do dia a dia: pães, bolos, bolachas, macarrão, cerveja e principalmente os produtos industrializados, em quase tudo ele está presente. Mas, afinal, por que tantos organismos o rejeitam?

Segundo especialistas, depois de digerido, o glúten se transforma em uma espécie de cola que gruda nas paredes intestinais. Isso vai provocando saturação do aparelho digestivo, aumento da gordura na região do abdômen, dores articulares e alergias cutâneas. A nutricionista Rosinéia Shemberg, explica que essa rejeição à proteína pode aparecer em qualquer altura da vida. “Você pode descobrir a doença tanto na infância quanto na idade adulta, não existe uma regra. A diferença é que existem as pessoas que são diagnosticadas celíacas, e aquelas que são apenas sensíveis à proteína. O celíaco não tem outra opção a não ser excluir totalmente o glúten do cardápio e para o resto da vida; até mesmo os utensílios, como faca e prato, por exemplo, devem ser separados. Já a sensibilidade ao glúten é mais leve, é como se fosse uma alergia. Ainda assim, precisa ter os seus cuidados”.

Os sintomas

Um dos sintomas comuns da doença celíaca é a diarreia crônica, causada pela inflamação no intestino delgado, que passa a apresentar falhas na absorção dos nutrientes. Outro sinal pode ser o déficit no crescimento, esterilidade e atraso menstrual (no caso das mulheres), aftas recorrentes e dificuldades para tratar anemia, já que o intestino não consegue absorver o ferro.

Dieta sem glúten

A dieta sem glúten pode ser sim um desafio, mas tem lá seus benefícios. Não é à toa que muita gente tem aderido ao cardápio restrito, mesmo sem ter a intolerância ou a sensibilidade, já que essa dieta apresenta bons efeitos ao corpo e à saúde. “É uma proteína que vem sendo modificada, e com excesso agride o nosso organismo. Por isso, excluí-la da dieta contribui e muito com o funcionamento do nosso corpo. É possível ver melhora no cabelo, na pele, regula o intestino, ajuda no emagrecimento e pode também dar fim às doenças inflamatórias”, relata a nutricionista.

Seja por necessidade ou vontade própria, se você estiver pensando em aderir a dieta, o primeiro passo é consultar um especialista que te dará as orientações adequadas para iniciar uma nova rotina alimentar.

Veja mais em Artigos, Dicas e Nutrição.

2 respostas para "Glúten: por que tantos organismos o rejeitam?"
  1. Desenvolvi intolerância ao glúten na adolescência mas só descobri depois mais de 10 anos depois. Nunca tive diarréia, tinha problemas dermatológicos, portanto passei metade da minha vida indo a dermatologistas para tentar descobrir o que eram as bolhas que saiam em meu corpo. Até que uma dermato viu e DD cada já sabia oq era, após exames iniciei o tratamento. Descobri que as bolhas eram Dermatite Herpetiforme, e com a dieta isenta de glúten elas sumiram. Mas sempre que eu escorrego na dieta elas voltam. Por conta da demora no diagnóstico atrofia das vilosidades do intestino, o que ocasionou a intolerância à lactose e uma seria deficiência de cálcio. Graças a Deus acredito que agora as pessoas estão diagnosticando mais rápido.

  2. Eu tenho intolerância a lactose e resolvi tirar o glúten, resultado: tudo o q eu sentia sumiu, gases, rinite, a pança diminuiu… Melhorei e muito, estou sem desde a reportagem na tv. Falei isso com a minha nutricionista, sabe o q ela falou? Que há melhoria sim, mas q eu não podia tirar todo o glúten. Resumindo, larguei a nutricionista e estou procurando outra. ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *