Compartilhe!

A história de Jéssica Mesquita

por

Jéssica Mesquita de Brasília conta sua experiência sem glúten

Personagem: Jéssica Mesquita
Idade: 23 anos
Cidade: Brasília – DF

 

A história

A adolescência talvez seja a fase da nossa vida em que mais comemos ‘besteiras’. É bolacha, chips, salgadinhos fritos, chocolate, lanches, pizzas. Tudo o que não é lá muito bom para o nosso organismo. Mas abrir mão destes alimentos nem passa pela cabeça de quem está vivendo a puberdade e lidando com coisas novas todos os dias. No caso da Jéssica Mesquita, a má alimentação teve consequências a curto prazo. “Sempre fui magra e sempre tive dificuldade de ganhar peso e facilidade de perder, fragilidade nas unhas e nos cabelos. Comecei a trabalhar de aprendiz e realmente comia muita besteira: salgados e mais salgados na rua, às vezes eram dois por dia e fritos. Não sei, mas ainda penso que isso realmente ‘desabrochou’ e agravou os sintomas que viriam posteriormente. Em 2008, eu estava de férias do serviço e na metade das minhas férias comecei a passar muito mal. Tudo que eu comia como bolo, biscoito, pão e  etc me fazia mal. Meu pai me levou de um hospital para outro e sempre os médicos davam o mesmo diagnóstico: gastrite. Fui medicada e melhorei, mas nunca mais fui a mesma. Passei  cerca de um ano e meio com mal-estar gastrointestinal. Meus pais me levaram a diversos médicos e ninguém conseguia dar o diagnóstico correto, mesmo eu fazendo exames de endoscopia e tudo”, lembra.

A situação só começou a ganhar novos rumos quando a Jéssica conhece um médico especialista em endocrinologia. “O Dr. Gustavo Franklin estava atendendo na emergência do hospital e me deu o cartão dele pra marcar a consulta. Na consulta, contei minha situação para ele, ele fez o cálculo do IMC e viu que estava muito baixo. Então, pediu alguns exames de sangue e o de intolerância à lactose e ao glúten estava entre eles. Fiz os exames e graças a Deus o exame para intolerância à lactose deu tudo ok, mas quando peguei o resultado e vi o resultado pra anti-transglutaminase levei um susto! Estava muito acima do normal. Fiquei preocupada, mas não tinha a mínima ideia do que aquele resultado queria dizer”, conta.

Quando retornou ao médico levando os resultados dos exames e também a última endoscopia, veio o diagnóstico final: doença celíaca. “Chegando ao hospital, o doutor olhou os exames, olhou pra mim e disse ‘a partir de hoje você não vai comer nada que contenha glúten’.  E eu disse que tudo bem, mas não fazia ideia de que praticamente TUDO que eu gostava tinha glúten. Ele ainda me indicou uma profissional nutricionista para me passar uma dieta eficaz e recomendou que eu fizesse academia”.

Jéssica seguiu as recomendações nutricionais, mas o processo de adaptação à nova rotina alimentar não foi nada fácil. “Teve umas três vezes que eu quebrei a dieta e comi pizza, não consegui me segurar. Às vezes eu chorava por ver meus amigos e até mesmo familiares comendo coisas gostosas e eu lá só olhando ou comendo alguma coisa que eu não gostava”, relata.

E foi justamente na internet e em blogs como o Sem Glúten Sem Lactose que ela descobriu que viver sem o glúten poderia ser mais fácil.  “Ultimamente, com a descoberta de blogs, de receitas, de lojas que tenham produtos glúten free tem sido mais fácil para mim. Realmente os gostos não são iguais, mas é melhor do que nada, até porque estou me acostumando. O site “Sem Glúten e Sem Lactose” tem me ajudado muito, pois os produtos prontos às vezes têm o preço bem salgado e a maioria das receitas do site tem os ingredientes do dia-a-dia, fáceis, bem mais baratos e que rendem muito. E o melhor: as receitas são ótimas e ficam uma delicia. A última que fiz foi o bolo de chocolate sem farinha. Tinha visto um bolo de chocolate na padaria e me deu água na boca! Resolvi fazer a receita do site e ficou uma delícia”, conta.

Você também descobriu a doença celíaca recentemente e está passando por essa fase de adaptação à nova dieta? Compartilhe a sua história com a gente. Ela pode ajudar muitas outras pessoas!

*O ‘Sua História’ é um espaço destinado para você internauta compartilhar sua experiência no universo sem glúten e sem lactose. Como foi a descoberta? Quais foram os primeiros sintomas? Como é a sua rotina? Gosta de testar receitas SGSL? O que mudou depois do diagnóstico? Para participar deste quadro envie um e-mail para: [email protected] que faremos o contato. Será um prazer dividir a sua história com nossos leitores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *